terça-feira, 29 de julho de 2008

Vergonha na Cara.

O depoimento da imagem foi dado em outubro de 2002, pelo sujeitinho da foto, em apoio à eleição de Lula. Hoje, o mesmo sujeitinho, sem que um só general se manifestasse, criticou de forma desrespeitosa e ofensiva o Exército Brasileiro e o Decreto que permite a presença militar em áreas indígenas.
Afirmou o petista, que é consultor jurídico do CIMI, Conselho Indigenista Missionário, da Igreja Católica: "A Constituição diz que só índios podem ocupar terras indígenas, a não ser que o Congresso aprove uma legislação especial - o que não fez".
De acordo com ele, há um histórico de problemas com os militares nas terras indígenas, o que inclui manobras repentinas, estupros e conflitos culturais. "Se o Exército não é capaz de operar no Rio de Janeiro, imagine o que vai fazer numa reserva indígena", disse ele, referindo-se à suspeita de que militares entregaram três jovens a traficantes de um morro rival em julho.
Com tantos casos de pedofilia na Igreja Católica, bem que os bispos e padres do CIMI poderiam orientar o seu advogado a ter mais cuidado com a língua. Quanto ao Exército, percamos a esperança: parece que não tem um só general com vergonha na cara para defender a instituição de tamanha ofensa.

Nenhum comentário: